19 de fevereiro de 2009

A BAILARINA


Oh! Minha pequena dama vem dançar faz um manége que não confundam vocês ser um “Mánage à Trois”; vejas todos estão pra aplaudir sonhar teus sonhos como se deles fossem, nos teus bailar delicado e suave e nas tuas pernas, braços, cabeça e principalmente nos teus pés como que flutuassem no ar; dançar; simplesmente dançar; danças tu pelas vibrações do corpo; pelo pulsar do teu coração traduzindo todas as notas musicais em passos cadenciados e precisos; escuta a musica que toca; sente a musica que estar em ti; mostra derrière ou devant; nas notas dessa musica que nunca para; traz nas tuas pequenas e cintilantes sapatinha de seda quase cristal; e voltas ao entrechat deux, trazendo passos; assinalados em teu corpo que buscas e mostras um glissé, levantas pluma em um ou sauté, gira, gira bailarina en avant; pra logo em seguida fazer um ou en arrière; traz no teu corpo a inversão da versão delicada do demi-plié; e continuas esgrimindo ritmos perfeitos em forma de dança; uns ficam agora; para depois um adeus sem palavras; só gestos para fechar ao mesmo tempo em que levantas a outra perna em retiré e fecha quinta no demi-plié; voa no mais completo equilíbrio entre corpo e mente e faz um demi-plié para finalizar oh! Bailarina; mesmo quando o fogo umedecido do teu sangue aperta-se em teu peito; trazes no corpo a inversão da dança; o corpo quer dança e gira sem parar; que mais e em torno de ti como um pião faz delicada de bourrée couru; para graciosamente cair como água em um changement battu ou Royal; deixa-te escorregar levemente como uma nuvem; bailar; flutuar ate os céus; e com uma leve inclinação o show acabou e a bailarina como uma pétala deixa as mãos, os pés...subirem e descer num ato de subordinação e prazer!
Céu
19/02/2009

Nenhum comentário: