16 de fevereiro de 2009

A VIDA DE TODOS OS DIAS
Oh! Meu amor, nem imaginas como dói dizer-te adeus; falar que já não quero mais a tua presença; tira este peso, estas correntes dos meus ombros estão pesando; nada mais é importante, pois me amputaste o coração; arrancastes meus braços; desfigurasse-me a minha face com a tua indiferença pior que punhal pontiagudo fino e mortal; num tens coragem para desbravar sentimentos; mas desafias e matas os meus sentimentos; não quero a perfeição; pois nem sei o que fazer com ela; não pretendo mudar a tua estória; mas precisas desistir da minha; deixa-me escrava dos teus dias e isso mata-me, pois a cada dia afasto-me mais e mais de mim; deixa que a noite venha sem lampejos de ódios; não quero a razão fria dos dias incertos; preciso inventar caminhos; desbravá-lo, não carrego desprezos nem ódios eternos; deixo-me esvaziar-me destes sentimentos vis; conheço a eternidade de um momento bem vivido, multiplicado por bilhões de megatons; necessito olhar pro sol com outro olhar; não quero trazer comigo nenhum vestígio que tenham sido teus; e não suportaria incrustada em mim tuas eternas tristezas; bebo os sonhos; viajo nas fantasias; mas não me entregarei nunca mais a um amor que nunca soube amar; agora é o fim; morri ontem em teus braços; não recordas; para poder nascer nos lampejos fervilhantes de outro ser reconstruído; e digo-te não foram às pessoas, a vida, os céus ou as estrelas que nos separam; fomos desviando-nos de nós; antes que essa lágrima nostálgica rompa meus olhos; essa dor rasgue meu coração que já apunhalastes já nem quantas vezes; deixa-te agora; sai e fechas a porta, não se esqueças de deixar as chaves; pra que consiga prosseguir sozinha em buscas no meu infinito e meus céus estrelados embaralhando de nuvens, vou fechar as cortinas e nunca mais voltaremos sequer a encontramo-nos; vai pro lado do sol nascente e brilha em outro céu meu amor, pois o meu universo agora esta completo de luz e todas a abraçam-me...

Céu
16/02/2009

Um comentário:

Þ®¡§¢¡£å £¡§ßøå disse...

É...sem palavras...calo-me...=)