30 de março de 2009


Sou o fragmento do ontem que abriu-se hoje; sempre fragmentada em busaca de resto que deixo pelas calçadas; não estar inteira é a minha natureza; é a essencia da minha alma que se busca entre ventos; aguas; saudades; e sombras; a noite sabe o que não conto e canta pra minha alma pra que ela adormeça; acostumei-me com ecos......pedaços; e sinto falta dos restos que deixo pelo caminho; só assim sinto-me reescrevendo-me como se paginando-me e assinando minha passagem pela terra; são pedaços de mim que rolam pelas caçadas; são os sons dos meus silêncios que me fazem levantar e prosseguir como uma alma em busca do seu nascimento; ou o nascimento de estrela; o milagre de saber viver morrendo de tanto viver se debatendo pelos sons que não quero ouvir pelas palavras que não quero sejam pronunciadas; coloquei um aviso na entrada; cuidado aqui mora o SILÊNCIO...entre não precisa bater; pois não quero dormir pra não ter que acordar e pensar que foi sonho o pesadelo de ontem!

Céu
30/03/2009

Um comentário:

Þ®¡§¢¡£å £¡§ßøå disse...

Tb não quero dormir pra ter que acordar...tb não quero ter que fazer a consciência doer com as coisas que não foram,não são e nunca serão...

Ah Céu,o que a gente veio fazer aqui nesse mundo de tristeza e dor?