1 de maio de 2009

EM SILÊNCIO




Atracão; e sem nada pra ser dito, afinal; no final só quero um gesto de ternura tão real; quero que as estrelas guiem-me ao portal; solidão todos esses nossos encontros e a paixão; são loucuras pra esses encontros irreais; meu amor a vida passa isso é real; quero a porta pro infinito; nesse encontro pro infinito e sei que não vai dar em nada é irreal; nesses encontros quero dar-te a minha alma por um dia pra que a vejas desnudar-me pra que sintas todos os esses sentimentos; será que são reais; meus maus hábitos se soubesses são reais; e entregar-les todos eles isso não pode ser real; em todos os meus pensamentos dedicando-lhe uma música; e assim nas suas partituras me leras; e tal encanto encontrarás não sei como e, no entanto espero sejas breve e serás; vou despejar no vento os meus sonhos picadinhos é só assim o alcançaras e saberás lê-los olha atrás; abraçarás a minha alma e catarás meus pensamentos eu sussurrando ao vento; és a porta pro meu momento esse irreal quem sabe como um Deus não o tornarás real dá um sinal o que não deve ser dito no final; afinal; atracão e a solidão aqui são tão reais...

Céu
01/05/2009

Nenhum comentário: