6 de março de 2010

SAGRADA MAGIA

 
O que é a vida se não um novelo que um gato amarfanhou,
E deu-me a superioridade de sonhar emocionalmente que aprendeu com a constância da vida,
E ver com prazer o mais vasto e variado homens em ações,
Poetas embriagados de sonhos,
Sonhadores estrelares,
De mãos vazias por não alcançá-las,
E eu aqui pensando largamente como posso alçar as estrelas,
Se elas estão aqui bem diante dos nossos olhos apesar de nunca as alcance,
Nem nas noites frias,
Quando sonhamos com o sonho mais lindo,
E sabe-se de repente que foi sonho fim dos encontros,
Fantasias,
Ilusões,
Medos e frustrações,
Às vezes acordar é ruim,
Sair da cama mais ainda,
Será isso um pedido de socorro chegou a hora pra superação,
Tentar sublimar a dor,
E voltar pra cama com o sagrado e o egoísmo andam de mãos dadas,
Sem sabermos que caminhamos nas suas pegadas,
Este é o custo e ao mesmo tempo refúgio,
Poderíamos ate chamá-los de imagens distorcidas,
Desprovidas de imaginação,
Que a solidão aquela mente um dia apagou,
Pagou o mais impiedoso dos impostos o esquecimento, 
Mas, que ainda sorrir,
Sorrir pra não esquecer o sabor das lágrimas,
Chorou pra não deixar a mágica do sorriso,
E assim não esquecer que a vida não presta contas a ninguém...
A magia sempre é natural e sobrenatural!
Por isso a chamamos vida...

CÉU

05/03/2010

Um comentário:

MARTIN disse...
Este comentário foi removido pelo autor.